16/11/2016

17/04/2016

Agosto


É Agosto
E há gosto
De você
Em mim

É Agosto
E eu gosto
De você assim

É Agosto
E haja gosto
Pra você em mim

É Agosto
Se arrasta no meu rosto
Nem se afasta e estás posto
No meu colo enfim

É Agosto
Quem sabe
Quem dera
És pálida quimera
Pra Setembro, sem fim

Espetáculo

Ah...meus papéis
destaques de minha alma
poucas ocupações
a cada hora que vivo

Alegre-triste
Senil - lúcida
Amiga-mulher fêmea

Co-participações
pepel principal
figurantes que se espalham
pelos momentos da aurora

Saudosa - Futurista
Calma - Esfuziante
Lenta - Fugaz

Sou menina
sou aquela que não veio
Sou má
Sou a outra, esquecida

Não importa a maquiagem
o figurino
o roteiro
a imagem

O que vale é o palco
e a platéia, que assiste atônita
ao desenrolar do mais novo espetáculo
O Ser que vive o Agora
E o agora é a Vida